Apresentação

Caros leitores, esse blog foi criado com intuito de compartilhar informações sobre: Contabilidade, Gestão financeira, Auditoria, Economia, Controladoria e Empreendedorismo.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Artigo: A ciclicidade da provisão para créditos de liquidação duvidosa sob três diferentes modelos contábeis: Reino Unido, Espanha e Brasil.

                 
Uma polêmica envolvendo a provisão para créditos de liquidação duvidosa em bancos refere-se à sua relação com os ciclos econômicos. Enquanto os padrões contábeis internacionais para o reconhecimento da provisão (modelo de perda incorrida) seriam presumivelmente pró-cíclicos, acentuando os efeitos do ciclo econômico vigente, um modelo alternativo, o modelo de perda esperada, teria características anticíclicas, atuando como uma espécie de amortecedor dos desequilíbrios econômicos próprios das fases de expansão e de contração da economia. No Brasil, vigora um modelo contábil misto, cujo comportamento não se sabe ser pró-cíclico ou anticíclico. Identificar o comportamento desses modelos contábeis frente aos ciclos econômicos, por meio de um modelo econométrico composto por variáveis contábeis e macroeconômicas, foi o objetivo desta pesquisa. O estudo contempla uma discussão sobre o impacto do comportamento do risco de crédito, do gerenciamento de resultados, do gerenciamento de capital, do comportamento do Produto Interno Bruto (PIB) e do comportamento da taxa de desemprego sobre a provisão, em países que utilizam os distintos modelos contábeis. Foram utilizados dados de bancos comerciais do Reino Unido (perda incorrida), da Espanha (perda esperada) e do Brasil (modelo misto), no período de 2001 a 2012. Os resultados revelaram que os modelos contábeis dos três países, apesar de serem formados por regras de natureza bastante distinta no que diz respeito a um eventual efeito sobre os ciclos econômicos, apresentaram comportamento pró-cíclico, indicando que, quando o PIB está em ascensão, as provisões tendem a cair e vice-versa. Os resultados revelaram também outros elementos que podem estar influenciando o comportamento da provisão, como a prática de gerenciamento de resultados.

Autores:

Veja:
http://www.scielo.br/pdf/rcf/v29n76/pt_1808-057X-rcf-1808-057x201804490.pdf


Artigo: Aspectos do gestor, alocação de carteiras e desempenho de fundos no Brasil.

                                      Alocação de Ativos
Este trabalho pretende contribuir para a literatura sobre fundos de investimentos em mercados emergentes ao abordar, sob a perspectiva do gestor, o desempenho dos fundos multimercados no Brasil. O objetivo da pesquisa foi identificar se algumas características dos gestores e a composição de suas carteiras influenciam no desempenho dos fundos. Em países emergentes, tanto a alocação de ativos na gestão de carteiras quanto características dos gestores podem auxiliar na explicação das diferenças de desempenho dos fundos, o que potencializa a relevância do estudo. Assim, o impacto desta pesquisa está em evidenciar uma relação significativa entre o retorno ajustado ao risco e a parcela das carteiras alocadas em ativos mais voltados para renda fixa ou renda variável que parece ainda não ter sido explorada no contexto de economias emergentes. Metodologicamente, analisaram-se 6.002 fundos multimercados, no período de setembro de 2009 a dezembro de 2015, por meio de dados em painel, considerando erros padrão robustos clusterizados por fundo. Utilizaram-se, também, estatísticas robustas para avaliar potenciais vieses decorrentes de outliers (pela avaliação do ponto de ruptura nos modelos estimados). Destaca-se que a composição das carteiras (alocação das carteiras em renda variável e em renda fixa) apresentou-se como o fator que mais auxilia na explicação de uma potencial alteração do desempenho dos fundos multimercados brasileiros. Além disso, a efetividade de gestão desses fundos, ou seja, os melhores retornos ajustados ao risco foram entregues por gestores menos experientes, fundos que investiram mais em renda fixa, gestores com maior quantidade de fundos e por fundos maiores.

Autores:
MAESTRI, Cláudia Olímpia Neves Mamede  e 
MALAQUIAS, Rodrigo Fernandes.

Veja:
http://www.scielo.br/pdf/rcf/v29n76/pt_1808-057X-rcf-29-76-82.pdf

Artigo: hipótese de Cressey (1953) e a investigação da ocorrência de fraudes corporativas_ uma análise empírica em instituições bancárias brasileiras.

                             



Este estudo supre uma lacuna técnico-científica na literatura nacional sobre fraudes corporativas, unindo o referencial teórico da teoria da agência, da criminologia e da economia do crime. Além disso, tem-se o foco em setor usualmente excluído das análises devido a suas especificidades e apresenta a aplicação da análise de regressão logit multinomial em painel sob efeitos aleatórios, pouco utilizada em estudos da área de contabilidade. O objetivo do trabalho é investigar a ocorrência de fraudes corporativas, bem como indícios de fraudes em instituições bancárias brasileiras, utilizando variáveis de detecção relacionadas ao triângulo de fraudes de Cressey. As pesquisas sobre fraudes e formas de detecção de fraudes têm crescido na literatura de gestão, especialmente após a ocorrência de vários escândalos corporativos nos anos 1990. Embora as agências reguladoras tenham aumentado os investimentos em fiscalização e controle, as investigações e condenações por fraudes corporativas são comuns no cotidiano dos bancos, como pode ser visto nas bases de dados de processos punitivos do Banco Central do Brasil e do Conselho de Recursos do Sistema Financeiro Nacional. Acredita-se que o artigo terá um impacto positivo na área de ciências contábeis, pois trata da fraude corporativa de forma multidisciplinar e gera motivação para o uso de um ferramental quantitativo que pode ampliar o desenvolvimento de estudos similares na área. O trabalho testou a hipótese de que as dimensões do triângulo de fraude condicionam a ocorrência de fraudes corporativas nas instituições bancárias brasileiras. Na revisão teórico-empírica, identificaram-se 32 variáveis representativas de fraudes corporativas que foram reduzidas a sete variáveis latentes, pela análise de componentes principais. Por fim, os sete fatores compuseram as variáveis independentes nos modelos logit multinomiais utilizados nos testes de hipóteses, que apresentaram resultados promissores.

Autores:

Veja:
http://www.scielo.br/pdf/rcf/v29n76/pt_1808-057X-rcf-1808-057x201803270.pdf

Artigo: A diversidade dos Tribunais de Contas regionais na auditoria de governos.

                                      Vasyl Kruk was tested under UKAD's reinstatement programme
Os atuais 33 Tribunais de Contas regionais brasileiros são responsáveis por acompanhar o ciclo de gestão financeira de governos estaduais e municipais e a legalidade dos atos de mais de 20.000 organizações públicas vinculadas a esses Estados e municípios. Este artigo tem como objetivo analisar a diversidade da configuração interna desses Tribunais de Contas regionais e discutir possíveis associações com a qualidade da auditoria financeira realizada por suas equipes. Foram realizadas entrevistas com auditores externos e diretores de tecnologia da informação de 18 tribunais, trianguladas com documentos oficiais disponibilizados pelos Tribunais de Contas, como relatórios anuais de atividades e manuais de auditoria. Partindo de fatores determinantes da qualidade da auditoria externa identificados na literatura, a análise de conteúdo das entrevistas identificou as características formativas da configuração de cada tribunal analisado. Apesar de todos os tribunais no Brasil terem como origem comum o modelo napoleônico de corte de contas, a análise traz como resultado que suas configurações variam quanto à organização e formação das equipes, ao uso de rodízio na alocação das tarefas de auditoria e à automatização dos sistemas de coleta de dados de jurisdicionados. Discute-se que a diferença na configuração dos tribunais, dada a demarcação de sua área de jurisdição, contribuiria a diferentes níveis de coerção em governos estaduais e municipais, à medida em que a configuração apresenta uma combinação de características que inibe ou amplia a qualidade da auditoria. A partir da literatura de alinhamento organizacional, o artigo alerta sobre o uso de variáveis para tratar o efeito da qualidade da auditoria nos estudos em finanças municipais.

Autores:

Veja:
http://www.scielo.br/pdf/rcf/v29n76/pt_1808-057X-rcf-1808-057x201803640.pdf


domingo, 7 de janeiro de 2018

Artigo: Deprival value: análise da utilidade da informação

                                  
Este artigo contribui com a percepção de que o processo de aprendizagem dos usuários é parte fundamental da aplicação de um conceito contábil e envolve uma apresentação adequada a seu potencial informativo, livre de fixações contábeis anteriores. O deprival value apresenta-se como medida útil para fins gerenciais e societários, podendo ter aplicação na atual Estrutura Conceitual do International Accounting Standards Board (IASB). Este estudo analisa sua utilidade, levando-se em conta aspectos cognitivos. Também conhecido como value to the business, o deprival value é um sistema de mensuração que trilhou um caminho em que foi mal compreendido, confundido com outro, encontrou resistência na implementação e caiu no desuso; tudo o que um método de mensuração normatizado procura evitar. Em contrapartida, o deprival value tem encontrado amparo na academia e em aplicações específicas, como as relacionadas à regulação de serviços públicos. A área contábil tem sido impactada pela sofisticação dos métodos de mensuração que exigem, cada vez mais, capacidade de análise econômica dos fatos contábeis, sob pena de prejuízo no seu conteúdo informativo. Esse desenvolvimento só se faz possível quando se conhece o potencial de um sistema de mensuração e tem-se como atingi-lo. Este estudo consiste em um ensaio teórico baseado em revisão da literatura para discutir sua origem, apresentação e aplicação. Tendo em vista as dificuldades cognitivas do conceito, realizou-se a análise do deprival value e de seu correspondente heterônimo, o value to the business, com objetivo de explicar algumas dessas motivações. A utilidade do conceito também foi explorada por meio de análise cruzada com o impairment e o esquema desenvolvido aplicado a situações econômicas reais enfrentadas por uma companhia aberta.

Autores:

Veja:

www.scielo.br/pdf/rcf/v29n76/pt_1808-057X-rcf-29-76-16.pdf


sábado, 30 de dezembro de 2017

O recebimento do presente

                               
Após o recebimento do cartão de natal Isabel, recebi o tão aguardado presente do meu amigo oculto. O meu amigo secreto se chama Pedro Correia do blog http://www.contabilidade-financeira.com/. Entre as opções de presentes ele escolheu a linda caneta da Crow. Quero agradecer a escolha do presente e agradecer mais uma vez a Isabel pela organizado dessa confraternização.
Até o próximo amigo oculto.
Um feliz 2018 para todos os amigo blogueiros e familiares. 

sexta-feira, 29 de dezembro de 2017

Recebimento do Cartão de Natal



Na quarta feira 27 de dezembro de 2017, depois de um dia extremamente estressante, tentando encerrar o exercício de 2017, com varias pendências para resolver, conciliações, diferenças, ... quando de repente recebi esse lindo cartão de natal da minha amiga e blogueira Isabel Sales. Com um texto carinhoso o meu dia melhorou. Um simples ato que foi esquecido por muitos pode ser renovado seguindo atitudes como essa.
Obrigado Bel!!!!

quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

A entrega do presente!

No dia 19 de dezembro de 2017 recebi uma mensagem do professor Alexandre Alcântara confirmando e agradecendo o presente (http://alcantara.pro.br/portal/2017/12/19/amigo-secreto-2018-blogs-de-contabilidade/). Fiquei feliz pela mensagem!
Até agora não recebi o meu presente e acho que vai chegar ano que vem. Confesso que estou ansioso.
Vamos aguardar!

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Cartão de Natal - Amigo Secreto

                                    
Em decorrência do alto volume de vendas do black friday, enviei, somente essa semana, o cartão de natal para o meu amigo secreto. Espero que as datas de entrega sejam próximas. A semana que vem será decisiva. Alguns amigos já receberam presentes maravilhosos. Estou ansioso para receber o meu.
Cenas para os próximos capítulos !!!

sábado, 25 de novembro de 2017

Compra do presente - Amigo Secreto

                                  
Boa tarde!
Ontem, aproveitando a onda do Black Friday, envie o presente para o meu amigo invisível. Acredito que em duas semanas (otimista) o presente será entregue. Alguns pessoas já receberam. Estou ansioso para receber o meu. Deixei quatro opções de presente. Nas próximas semanas saberemos o sobre o andamento da confraternização virtual.

AVISO

As imagens publicadas nesse blog são capturadas nos sites de busca de imagens. O intuito é vincular as imagens com o texto postado - Isso facilita a sua compreensão. Se você se sentir incomodado com a publicação de alguma imagem feita (por você ou por sua instituição), basta solicitar que a retirada é feita imediatamente - ou se preferir adiciono os créditos conforme for solicitado. O uso das imagens neste blog não tem fins comerciais, mas meramente ilustrativo.



Postagens mais visitadas

Lista de postagens por assunto

Arquivo do blog